Grupos de Jovens
pastoral juvenil | Quarta-feira, 08 Outubro , 2008, 00:10

Planificação  do encontro do mês de Outubro de 2008

 

 

 Neste ano pastoral, que agora iniciamos, a Igreja universal celebra os 200 mil anos do Nascimento de São Paulo. Certo de que nós não queremos ficar á margem destas celebrações, proponho que sigamos as orientações de pastoral da nossa diocese de Angra, cujo objectivo geral é propor e transmitir a fé na sociedade actual, com São Paulo e como São Paulo.

Que cada um de nós se deixe “evangelizar por São Paulo para evangelizar como São Paulo”.

 

Assim Deus nos Ajude!

 

Bom encontro!

 

 

1. ORAÇÃO INICIAL

  

Senhor, nosso Deus, fazei que este nosso encontro seja um momento de crescimento pessoal e em grupo, para que possamos cantar as maravilhas do vosso Amor com São Paulo e como São Paulo, por meio do vosso Filho Jesus Cristo, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amen.

 

2. AMBIENTAÇÃO

 

Neste momento, se oportuno, deverá ser feita alguma ressalva para o encontro.

 

3. TEMA: O CÂNTICO DOS CANTICOS

 

Este Hino de Paulo ao Amor, é tido por muitos como uma das mais belas páginas do Apóstolo, onde fica claro a superioridade e necessidade do Amor.

 

3.1. TEXTO BIBLICO: O CÂNTICO DO AMOR  (1 Coríntios 13, 1-13)

Este texto deve ser lido e meditado individualmente, antes do encontro, por cada um dos membros do grupo. No dia do encontro, o animador lê ou escolhe alguém para fazer uma leitura em voz alta.

 

1 Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, sou como um bronze que soa ou um címbalo que retine. 2 Ainda que eu tenha o dom da profecia e conheça todos os mistérios e toda a ciência, ainda que eu tenha tão grande fé que transporte montanhas, se não tiver amor, nada sou. 3 Ainda que eu reparta todos os meus bens e entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver amor, de nada me aproveita. 4 O amor é paciente, o amor é prestável, não é invejoso, não é arrogante nem orgulhoso, 5 Nada faz de inconveniente, não procura o seu próprio interesse, não se irrita nem guarda ressentimento. 6 Não se alegra com a injustiça, mas rejubila com a verdade. 7 Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor jamais passará. As profecias terão o seu fim, o dom das línguas cessará, e a ciência será inútil. 9 Pois o nosso conhecimento é imperfeito, e imperfeita é também a nossa profecia. 10 Mas, quando vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá. 11 Quando eu era criança,  falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Mas, quando me tornei homem, deixei o que era próprio de criança. 12 Agora, vemos como num espelho, de maneira confusa; depois, veremos face a face. Agora, conheço de modo imperfeito; depois, conhecerei como sou conhecido. 13 Agora permanecem estas três coisas: a fé, a esperança, o amor; mas a maior de todas é o amor.

3.2. TEXTO:CARTA DE SÃO PAULO AOS CRISTÃOS DE HOJE

Achei este texto num dos meus arquivos e pareceu-me um suplemento interessante ao texto bíblico. poderá ser lido ou não no encontro.

"Se eu aprender inglês, alemão e chinês, e dezenas de outros idiomas, mas não souber me comunicar como pessoa, de nada valem as minhas palavras?


Se eu concluir um curso superior, andar de anel no dedo, frequentar cursos e mais cursos de actualização, mas viver distante dos problemas do povo, minha cultura não passa de inútil erudição.


Se eu morar no Nordeste, mas desconhecer os problemas e sofrimento de minha região e fugir para férias no Sul, até na América ou Europa, e na fizer pela promoção do homem, não sou cristão.


Se eu possuísse a melhor casa de minha rua, a roupa mais avançada da moda, e não me lembrar que sou responsável por aqueles que moram na minha cidade e andam de pé nos chãos, e se cobre de molambo, sou apenas um manequim colorido.


Se eu passar os finais de semana em festa e programas, sem ver a fome, o desemprego, o analfabetismo e a doença, sem escutar o grito abafado do povo que se arrasta à margem da história, não sirvo para nada.


O Cristão não foge dos desafios de sua época. Não fica de braços cruzados, de boca fechada, de cabeça vazia; não tolera a injustiça, nem diante das desigualdades gritantes de nosso mundo; luta pela verdade e pela justiça, com as armas do AMOR.


O Cristão não desanima, nem se desespera diante das derrotas e dificuldades, porque sabe que á única coisa, que vai sobrar de tudo isso, é o AMOR".


Dom Hélder Câmara

 

 

 3.3. REFLEXÃO

O ideal será que cada qual faça uma reflexão sobre estes textos, mental ou por escrito, antes do encontro, para que a partilha seja mais profunda e rica para todos os participantes.

 

4. PARTILHA

 

O Animador deve conduzir este momento de modo a que  todos  deixem  as suas  ressonâncias sobre o  tema proposto para o mês.

 

5. COMPROMISSO MENSAL

 

É conveniente que brote da reflexão do mês, isto é, cada qual deve olhar para a sua vida e ver como pode e deve concretizar as inquietações e desafios que a meditação do tema deixou no seu coração. O compromisso deve ser algo pequeno, positivo e possível. Poderá ser individual ou do grupo. O importante é que fique definido e seja assumido perante o grupo.

 

Antes de assumir o compromisso para o mês, deverá ser feita uma partilha sobre a vivência (dificuldades e/ou conquistas) do compromisso do mês anterior.

 

 

6. AGENDA

 

Se o compromisso mensal for em grupo, convêm agendar: dia, hora e local.

Marcar a data do encontro do mês de Novembro.

 

7. OUTROS ASSUNTOS

 

Se houver outros assuntos do interesse de todos os membros da fajã deverão ser abordados neste momento.

 

8. ORAÇÃO FINAL:ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO

 

(No dia 4 de Outubro a Igreja celebra a memória de São Francisco de Assis.)

 

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor;

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

Onde houver discórdia, que eu leve a união;

Onde houver dúvida, que eu leve a fé;

Onde houver erro, que eu leve a verdade;

Onde houver desespero, que eu leve a esperança;

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado;

compreender, que ser compreendido;

amar, que ser amado.

Pois, é dando que se recebe,

é perdoando que se é perdoado,

e é morrendo que se vive para a vida eterna.

 


Fajã Invicta a 19 de Outubro de 2008 às 14:15
Como reflexão mensal relativo ao texto proposto:
Amor, Fé e Esperança, os três grandes pilares da nossa vida. Todavia, o Amor, fonte de vida, é essencial para nos guiar nos nossos caminhos. Imaginemos a vida como uma casa em que o amor é o alicerce desta e imprescindível para a sustentação da casa, ou seja, sem esta base nunca conseguiremos ter uma casa segura e estável.
Só tendo o amor como base da nossa vida, conseguiremos ser verdadeiros cristãos e ser pacientes, prestáveis para com o próximo.
Conclusão: O amor não tem fronteiras, e só através dele conseguimos chegar à fé e à esperança e ver o mundo como ele realmente é.

pesquisar neste blog
 
links
MENSAGENS
QUEM NOS VISITA?